Total de visualizações de página

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Update


Então que teve um almoço em casa que nunca mais teve fim....
O povo nunca mais queria ir embora!
E eu tinha marcado com a Mi de ir até a casa da Ju ver o Ian.
E não consegui, porque as visitas nunca sabem a hora de ir embora.
E elas vão ficando, e ficando e ficando.
Deve ser porque minha casa é legal.
Ou porque eu sirvo pães de queijo quentinhos de petiscos. Quentinhos mesmo, direto do forno.
E as visitas adoram. Juro, é a única explicação pra um almoço que começou as 13 hs até as 20 não ter acabado né?
Estranho esse povo.
Mas foi bom.
E no sábado a noite após o almoço, nós assistimos um filme, e depois nanamos.
No domingon acordei com uma dor estranha. Uma dor realmente muito estranha... Não sei explicar muito bem onde é, é perto do rim, mas eu não sei.
É uma dor estranha.
E o meu marido fez um café da manhã e me levou na cama.
E eu fiquei na cama, coberta até o queixo vendo a maratona de SP.
E me cansei só de olhar a tal da Zeferina correr....
E o Duda da novela tbm correu, junto com o Benoliel.
Depois que eu dormi mais um pouco, eu me arrumei e fomos até uma padaria italiana no Bixiga comprar umas coisas como pão de linguiça, palha italiana, canoles, patês e afins.
E fomos almoçar no Si Senor, um mexicano no Itaim onmde tiramos essa linda foto com o celular.
E eu tô de tiara, que é a última moda agora.
E eu tô sempre adiantada na moda. Porque eu sou chic!
E depois fomos pra casa, e a dor estranha continuou.
E eu não quis ir pro Einstein porque fiquei com preguiça.
Dormi a tarde e estudei.
Vimos mais um filme,jantamos as porcarias que compramos na padaria italiana e o domingo acabou.
Antes de dormir eu assisti antes o faça sua História, porque eu adoro o Oswaldir.
E é isso.
A dor ainda existe. Se continuar hj, depois da prova vou pro Einstein.

3 comentários:

Bruneca® disse...

Eu tb adoro o Oswaldir.
Mas nem assisti ontem.Frio e Domingo me dão muito sono, sabe...

Mica disse...

Almoço de dia inteiro é rotina na minha vida! Rá!
Não só quando as pessoas vêm aqui em casa, mas também quando vamos por a casa dos outros... Especialmente da família. Daí não acaba nunca!

Renata R. disse...

Ei! Já tá melhor?