Total de visualizações de página

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Textinho.... Porque às vezes eu escrevo....

Maria Alice conheceu Zé faz muito tempo.
Lá pelos idos de seus 17 anos, veja você.
Uma quase ex adolescente. Ou não.
Talvez Maria Alice seja um pouco adolescente até hoje.
Mas isso são outros quinhentos.
O importante mesmo é que Maria Alice é uma mulher interessante.
Mas isso Zé só foi perceber mais tarde.
Por que antes disso, Zé e Maria Alice eram amigos, mas não eram, entendem?
Zé e Maria Alice nunca se mostraram como realmente eram. Seus gostos, angústias, preferências.
Zé nem sabia da paixão da Maria Alice... nem por ele e nem por piña colada.
Maria Alice a-d-or-a piña colada.
Uma coisa assim, impressionante.
Maria Alice é capaz de, não tendo piña colada no cardárpio, mandar fazer.
Ensina se for preciso.
Mas Maria Alice é encantadora nas pequenas sutilezas que a fazem única.
Mas este texto tbm não é sobre a paixão de Maria Alice por piñas coladas.
Maria Alice é mais que isso.
Maria Alice é uma mulher forte, e que perdeu a viagem no tempo com Zé por não ter se mostrado tão encantadora aos olhos dele, como hoje em dia.
Zé lamenta o fato dele e Maria Alice não terem realmente se conhecido antes.
Mas não por falta de tempo, porque tempo eles tiveram... mas por falta de feeling.
Por falta de achar que podia dar certo. Que podiam superar a distância entre a maturidade de Zé e o frescor da juventude inabalável de Maria Alice.
Sim, porque ainda existia esta barreira na cabeça de José.
A barreira da idade.
Maria Alice era uma criança e José, ai meu Deus José, vc é tão adulto.
Tantas coisas que Maria Alice não sabia a respeito de José. E a recíproca também é verdadeira.
Maria Alice não sabia que assim como ela, Zé adorava mandioquinha!
E Zé toma, tal qual o 007, Dry Martini.
E é forte viu?
Zé gosta de músicas que muitas vezes embalaram o transito de Maria Alice.
E choram. E cantam. E são fãs. Os dois.
Ah, se Maria Alice soubesse o quanto ela poderia ser atraente e interessante aos olhos de Zé.
Mas ela se achava infantil e bocó.
(outra coisa importante sobre Maria Alice é que ela usa expressões que ninguém usa atualmente).
E achava Zé lindo. Lindo, interessante, inteligente, e se perguntava (pobre Maria Alice), o que Zé tinha visto nela...
E a vida seguiu. Maria Alice sumiu. Maria Alice casou. Maria Alice amadureceu.
E o tempo passou.
Zé e Maria Alice divertiram-se muito. Não se conheceram, mas divertiram-se.
Maria Alice tatuou uma marca de Zé. Uma lembrança, uma memória, de quem ela tanto gostou.
E a vida seguiu. Maria Alice sumiu. Maria Alice casou. Maria Alice amadureceu.
E o tempo passou.
Maria Alice cresceu, engordou, mas sua essência continua a mesma.
E deixou enfim, sem pretensões Zé a conhecer.
E Zé gostou do que viu. Zé gostou de ouvi-la. Zé gostou dela.
E Maria Alice gosta de Zé. Maria Alice inclusive ás vezes sente saudades de Zé.
Saudades de um passado que poderiam ter vivido. Saudades de um futuro que não sabem se terão.
E Maria Alice se pergunta, quase sempre, quase sempre...

E agora José?

8 comentários:

Freda disse...

Humm, será q esta historinha é real??
Adorei as fotos do post abaixo, vc tem cara de ser uma fofa completa e adoro cada vez mais ler seu blog, acho que você devia escrever 48 posts por dia, rsrsrs
beijinhos
Freda
www.vidapassadaalimpo.blogger.com.br

Olly disse...

Freda, amore!!!

Obrigada pelos elogios!!!
A história não é verdadeira não, é uma ficção! E eu a escrevi há muito tempo. Vc gostou?

Um beijão

Anônimo disse...

Se gostei? Eu adorei, e esse tipo de coisa acontece mto né!?!?!
bjoss
Freda

Milena disse...

Aiiii fofo amiga!

Boa sexta feira pra vc!

Beijooooo

Renata disse...

ADOREI!!!!

Mica disse...

Eu conheço a Maria Alice!!!
Só não me lembro quem seja o Zé???

Olly disse...

Gente, só um adendo: a Maria Alice não sou eu! Really. O fato dela ser casada é mera coincidência.... I swear!

Dúvidas esclarecidas?
Beijos

helen disse...

Não sei porquê, mas algo me dizia que vc era uma moça dada às letras...

Adorei :)

bjk!