Total de visualizações de página

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Pensamentos soltos e ensinamentos...

Tava aqui de bobeira, ah vá, e resolvi escrever.
Escrever para entender, para não enlouquecer, para por para fora.
Escrever porque é escrevendo que me entendo, que me torno menos maluca.
Ou escrever para ser maluca mesmo, e daí?
Tava pensando naquela coisa do post anterior, do cara que falava " Oi tudo".
E como isso me irrita.
E daí uma coisa levou a outra e eu fiquei pensando que devo ser mega chata mesmo, porque tem milhares de coisas que me irritam.
Mas eu nem sei se quero falar de coisas que me irritam.
Eu acho que eu quero falar de mim.
Quero falar que às vezes eu fico achando que não, não vai aparecer ninguém que me agrade e que seja recíproco e que a gente consiga dar certo.
Fico achando que o fato de não encontrar alguém que me ame, e que eu ame, e que a gente tenha química e que seja uma pessoa que me aceite com meus defeitos e qualidades ( eu sempre digo que as pessoas tem que ficar com alguém que respeite e tolere seus defeitos, porque as qualidades, todos aceitam), e que sei lá, que os cosmos conspirem e que a vontade de ficar junto seja a mesma e ao mesmo tempo, enfim, tudo isso para dizer que sim, eu sou humana, e às vezes tenho medo de não encontrar alguém.
Porque isso implicaria em não ser mãe, e eu quero tanto ser mãe sabe?
Mas eu não quero ser mãe sozinha, mãe independente, eu queria ser mãe no projeto familhinha feliz, mesmo que depois a familhinha feliz se separe, mas no momento do projeto bebê eu queria um projeto em comum.
Por isso eu nunca engravidaria de ninguém de propósito.
Porque eu pareço moderna, mas eu quero nego indo na ultrassom junto, saca?
Olhar pra cara de banana da pessoa e ouvir o coraçãozinho, e chorar, enfim, ter alguém que saia para comprar meu milkshake de chocolate na madrugada, porque eu sei que eu vou ter desejo de milkshake com certeza e eu quero muito que o cara vá lá buscar.
Eu posso até ir junto, mas eu quero um projeto. Quero o pacote.
Quero escolher nome, escolher lembrancinha, ter dor nas costas e alguém que a massageie e que não seja minha massagista, embora eu vá continuar com a minha massagista.
Porque é importante fazer massagem, eu acho.
E eu sei que sou legal, bonita, interessante, inteligente, engraçada, eu não sofro de baixa autoestima, eu me gosto, mas caralho, às vezes eu tenho medo sim, e parece que esse cara nem existe e que não vai rolar de novo.
Eu sei que eu já casei, já tive mil namorados e enfim, não sou uma encalhada, mas eu tenho medo sim, e confesso, de pensar que eu não vou encontrar alguém para botar um moleque no mundo ( sempre tive certeza que se for mãe serei mãe de um moleque), e enfim, não gosto de olhar pro futuro e pensar que talvez um mini eu não exista.
Mas em contra partida eu tô tentado me equilibrar e ser feliz com a possibilidade de que talvez não haja mesmo um mini eu no futuro, e terei que ser feliz com isso.
Pode ser tbm que eu encontre o tal cara, e que eu não possa ter filhos, mas enfim, uma coisa de cada vez né?
Por enquanto fico só com o medo de não encontrar uma pessoa bacana e não poder concretizar o plano do moleque mini eu.
Ou da menina mini eu.
Porque o cara tem que ser bacana, e se ele não for bacana eu tbm não vou querer colocar um moleque mini eu no mundo.
Eu tenho certeza tbm que eu serei uma mãe muito do caralho,porque eu sou carinhosa até o último fio de cabelo, e eu sou uma pessoa do bem.
E eu tenho certeza de que vou ensinar várias paradas sabe?
Vou ensinar a respeitar as pessoas, vou ensinar a respeitar os animais, vou ensinar a gentileza, vou ensinar a não ter uma ambição exacerbada acima do caráter, vou ensinar a jogar bola, porque eu chuto com as duas pernas, eu sou ambidestra no futebol, ensinar a ouvir música e apurar o gosto, vou ensinar a ler livros desde bem pequeno, porque é muito importante ler, é uma maneira muito divertida de aprendizado, vou ensinar que não se humilha ninguém, muito menos pessoas menos favorecidas, vou ensinar a conviver com as diferenças mesmo que não aplauda o que as pessoas escolhem fazer, vou ensinar que é importante ter fé, porque quando tudo se vai, a fé nos mantém, vou ensinar a torcer pelo verdão, e ter orgulho do seu time esteja onde ele estiver, vou ensinar a nadar, vou levar ao zoológico, vou ensinar a disciplina, vou ensinar que algumas regras podem ser quebradas e que tem que se saber quais podem e devem ser quebradas, mas que se ele não quiser quebrar, tudo bem, vou ensinar que ele tem que ter opinião, não se omitir, tomar partido, não ficar em cima do muro.
Acho importante ensinar que não se agride primeiro, mas tem que saber se defender.
Apanhar tbm não.
Vou ensinar que a verdade liberta as pessoas, e que quem mente uma vez terá que mentir sempre, para acobertar aquela primeira mentirinha lá atrás e que ele já nem lembra mais.
Vou ensinar que algumas mentiras são necessárias para se viver em sociedade.
Vou ensinar que não importa o que ele sonhe, os sonhos são importantes e ninguém deve achar o sonho de ninguém idiota.
Vou ensinar que idiota é uma palavra que a mãe dele fala muito, mas que nem tudo que a mãe dele fala é a verdade absoluta. Aliás, a mãe dele erra a beça, e é bom que ele filtre algumas coisas.
Vou ensinar neste caso o que é filtrar.
E acho que vou mostrar o filtro. O de água, mesmo.
E vou plantar feijões no algodão, farei bichinhos com batata crua e palitos de fósforo igual Amanda fazia para mim.
Vou ensinar que é importante brincar, brincar e brincar, sempre, mesmo adulto. E principalmente quando adulto.
Vou ensinar que ele deve experimentar os alimentos, e comer de tudo. Mas tambpem vou respeitar se ele disser que não experimentou e já não gosta.
Realmente não é tudo que precisamos experimentar para dizer se gostamos ou não.
Vou ensinar que é muito, muito importante saber reconhecer seus erros, e estando errado, pedir desculpas.
e que pedir desculpas não deve ser algo vergonhoso. Vergonha é ser esnobe e arrogante e não pedir desculpas.
mas que uma vez que pediu desculpas, ele terá que se policiar para não cometer o mesmo erro de novo, porque isso faz uma pessoa perder a credibilidade e banalizar um pedido tão profundo quanto as desculpas sinceras devem ser.
Que um homem, deve ter palavra.
Falou, cumpriu.
E que mesmo que ele tenha 2 anos de idade, se ele disse que dançaria na festinha junina, ele vai dançar, porque a menina não tem culpa da eventual timidez dele.
Isso é palavra e comprometimento.
Vou ensinar que pai e mãe são sagrados, e que devem ser respeitados e amados, e que entre família não existe isso de " nunca mais falo com você".
As famílias brigam, e depois passa.
E vou ensinar que palavras ferem. E que por isso elas devem ser bem pensadas.
Vou ensinar que a flecha lançada, a oportunidade perdida e a palavra proferida, não tem volta.
Mas que a vida recomeça sempre e sempre, e que não há desespero enquanto houver vida.
Vou ensinar que sou só mãe dele, e não uma super heroína e nem o pai um super herói, e que nós somos falhos e que vamos falhar muitas vezes e ele vai se revoltar e vai ter que nos perdoar.
E vou ensinar que muitas vezes quem vai falhar é ele, e que sim, nós também teremos que perdoá-lo.
E que certamente faremos isso.
Vou ensinar que perdoar é esquecer para sempre.
Todo o resto é desculpar.
Vou ensinar que não importa o que os outros digam, ele tem que se deitar todas as noites com sua consciência tranquila e orgulhoso de suas atitudes.
Vou ensinar que os mais velhos tem sempre alguma coisa a ensinar e que sim, devem ser respeitados sempre, porque bem ou mal, é o futuro de todos nós, embora nós achemos que isso vai demorar a acontecer...
Vou ensinar que meu pai, o avô dele é ( ou foi) um cara fudido, e vou contar histórias de caráter e exemplos de amor.
Vou dizer que a avò dele é uma pessoa incrível e puro amor.
E vou fazer questão de valorizar os outros dois avós dele, e espero que sejam pessoas bem legais também...
Vou ensinar que família é sagrado, e que no final das contas é quem está ao nosso lado da vitória e na derrota.
Vou ensinar que é importante ter e manter as amizades e que ser honesto não é favor, embora atualmente pareça ser.
Vou ensinar que quem rouba um lápis roubaria 1 MM se pudesse.
Vou ensinar que é essencial manter-se fiel a sua essência, e que no final é só isso que resta numa trajetória.
E que homem chora sim.
E que não importa o quanto seu coração esteja doendo, o mundo não vai espera-lo consertar.
E que sim, infelzimente as pessoas morrem, e que embora isso faça parte da vida dói para caralho.
E vou ensinar que a mãe dele fala muito palavrão mas que ela já pode porque ela é adulta! Rá.
Vou ensinar piadas, jogos, e micagens.
Vou ensinar que gargalhar é delicioso e que não há porque ter vergonha de gargalhar bem alto mesmo que as pessoas te olhem.
E que mudar de opínião é uma questão de inteligência. Aprendizagem.
Vou ensinar que estudar parece um saco, é um saco, mas que ele precisa e eu tô cagando se ele não quer.
Vou ensinar que nunca se olha para baixo para falar com alguém, e muito menos por cima dessa pessoa. Olho no olho é o suficiente e essencial.
Vou ensinar que ele vai tropeçar, cair, e ter que levantar muitas vezes e que infelizmente eu, e o pai dele, ninguém vai poder cobrir o mundo com sabão, mas que estaremos lá, para dar a mão, e se for preciso, depois a bronca.
E que sim, nós daremos broncas, mas eu nunca darei por coisas fúteis.
Motivos torpes.
Acho meio escroto quem briga com o filho porque ele se sujou, porque ele quebrou a porra do vaso...
Vou ensinar que é importante ele falar o que pensa, mas respeitar a opinião dos outros.
Não importa se parece idiota.
Aliás, por mais idiota que pareça, ele tem que respeitar.
Vou ensinar que a mãe dele dança, que os espetáculos são longos e sacais, mas que ele vai ter que ir.
Rá.
Vou ensinar que se ele porventura tiver uma babá é só porque a mãe dele trabalha como um cachorro, mas que ele não ache que na vida ele terá sempre alguém para servi-lo.
E não, não vou levar a babá no restaurante, nem nas viagens, porque eu sinceramente quero cuidar dele eu mesma.
E que não, ele não precisa largar a chupeta só porque fez dois anos, porque eu tenho 30 e tomo mamadeira e que ele terá que usar aparelho de qualquer maneira.
E vou ensinar que quando eu disser " Não" é " não porra".
E eu fico pensando que eu tenho tanto para ensinar, mesmo que pareça tão idiota o que eu tenho para ensinar, e que talvez eu não tenha essa mini pessoa...
E isso me frustra um pouco.
Mas o que se há de fazer né?
E caso eu não tenha, caso não role, acho que terei que pedir para os meus pais me ensinarem que frustrações fazem parte da vida e que eu tenho que buscar uma maneira de ser feliz com isso. Ser feliz em meio as frustrações!
Embora eles já tenham me ensinado isso, acho que será bom deitar no colo deles e pedir para que eles repitam essa lição preciosa...
Não é?





10 comentários:

Eduardo - TR3S MEIOS disse...

Eu só vou acreditar que ainda não apareceu nenhum comentário porque a senhora, apesar do sol já ter nascido há muito, ainda está dormindo!!
Fica tranquila, pois se o Cara lá de cima leu seu post no blog, e Ele deve ter lido mesmo, sabe que perderá uma oportunidade de ouro de colocar neste planeta uma pessoa que vai valer a pena.
Não quero começar a fazer um discurso que tudo vem a seu tempo, que a hora que você menos esperar, alguém surgirá pra você e este alguém será aquele cara especial que irá te acompanhar no ultra-som, fazer massagem e comprar seu milk shake de jaca na madruga!!
Ler seu texto me emocionou, talvez pelo fato de ser um pai babão que relembrou um monte de passagens da criação da minha pequena a cada palavra que você escrevia.
Chorei... Sim, como você mesma disse, homem chora sim!! Não tenho vergonha disso.
E por último, mas não menos importante, saiba que eu te amo ainda mais e que as palavras que você colocou neste texto espelham quão linda pessoa você é.
Espera Kbeça, quando você menos perceber, sua hora chega e você vai ser feliz plenamente...

Dani Carnavale disse...

Bru,

Você me emocionou, sabia??

Sua hora vai chegar e você vai ser esta mãe maravilhosa que descreveu e seu "mini eu" será uma pessoa do bem e de caráter.

E sei que Deus é bom e Ele vai colocar no seu caminho um cara legal que te fará feliz e será um paizão pro seu "mini eu".

Pode até não ser uma família margarina, porque como você mesma escreveu é difícil, mas que seja uma família feliz.

Eu e todos nós que te admiramos, sem ao menos conhecê-la pessoalmente torcemos muito por você e que encontres uma pessoa que te complemente.

Beijos Dani

Caro Giacomet disse...

Hum..... Se a Lolla for como a mãe dela e adorar um cara mais novo, acho que temos pretendente na área. Esse mini tu vai ser muito legal!!!!

Deixa de ser boba e pensar besteira! Ceeerto que daqui a pouco tu vai ser mãe!!!!

Bj co-sogra!

ahahahahha

Su Noschang disse...

Adorei o post. Mostra seus valores. Sabe que às vezes fico pensando nessa parada de se conseguirei ter filhos e tal. Não consigo me imaginar sozinha sem ao menos um filho. Quero que o primeiro seja menino, mas se não for não tem problema. Sempre me dei melhor com os meninos.
Mas relaxa gata. Às coisas vão acontecer. Bjus

Terapia Coletiva disse...

Bacanérrimo o post, Bru. Eu não aprendi que eu tinha que dançar a festa junina de qualquer jeito e, por isso, já dei muito bolo nos coleguinhas de escola. Mas como minha mãe não desistia de mim (as boas nunca desistem né?), ela fazia tudo de novo na festa seguinte, com a esperança de que "agora ela vai entrar, dançar e arrasar". Valores bacanas esses seus. Seu filho irá se divertir tanto (ou mais) do que vc se diverte com Amanda. Quer mais do que ter uma mãe com nome artístico? Beijocas e sorte!

Vanessa disse...

Me fez chorar, não merece meu respeito!!!
Vc vai ser uma mãe danada de boa! Deixará Amanda no chinelo (até nas maluquices...hahahahha).
Bjão

Snow White disse...

Vc é maravilhosa...todo mundo já falou coisas lindas e verdadeiras...
Concordo com a parada de esperar rsrsrsrs
Seu "mini eu" virá!!!!

closet da fla disse...

Querida seu post me emocionou muito, tão lindas tuas palavras!! Claro que você vai ensinar td isso e muito mais ao seu mini. E ele será uma mini pessoa bacanérrima assim igual à mãe dele. Nem desconfie de que isso não vai acontecer. Claro que vai, td tem a hora certa, claro que vai aparecer esse pai bacana do seu mini, aliás como pode ser desperdiçado tanto ensinamento assim? Não pode! Vai acontecer sim, certeza lindona! Bjs

closet da fla disse...

Ah esqueci de dizer eu chorei com suas palavras tão lindas. hehe

Mariana disse...

Que lindo, Bru!

Saiba que se Deus colocou esse sonho no seu coração, ele vai realiza-lo!

E você vai ser uma mãezona maravilhosa e LINDA! Daquelas que o filho faz inveja na escola! hahaha

E PINGUIM??
Sempre fui TEAM PINGUIM!
Fiquei contente! Quero saber como anda!
hahaha

Beijooos!