Total de visualizações de página

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Sobre Bicos, taquicardia e fisica...

Daí que na quarta feira saí da aula e fui ter com gatinho que também estava em aula.
Cheguei na casa de gatinho e ele ainda não havia chegado, então ele foi legal e não me deixou exposta às mazelas que eu poderia sofrer se na rua ficasse, ao relento, e autorizou minha entrada com uam chave reserva.
Fiquei esperando ele chegar enquanto ouvia músicas variadas deitada no tapete de ratinhos de gatinho, que como todos sabem, é o melhor lugar para se deitar.
Ele chegou, conversamos, rimos, falamos bem e mal do mundo sórdido onde vivemos, me contou sobre a palestra que foi assistir, tirou sarro da minha aula de Império Romano, uma vez que gatinho está muito adiantado. Gatinho está em Berlim, o que eu acho muito chic por sinal, já que falo alemão.
Gatinho é muito Talibã e me puniu com cócegas infinitas porque eu não passei o esmalte verde metalizado que ele havia " sugerido" enquanto eu fazia minhas patas superiores de manhã.
Não sou submissa.
Passei azul marinho.
Rá.
Sei que ficamos lá, tomamos uma tacinha de vinho, rimos horrores, conversamos, e depois lá pelas 2 e meia da manhã rumei para minha casa.
Eu não sabia se viajaria ou não, e acabei decidindo por ficar em São Paulo, uma vez que pegar trânsito não estava nos meus planos, minhas milhas da Funai já estão suficintemente altas para que eu me estresse no trânsito sórdido de véspera de feriado.
Ao contrário disso, rumei com Piu meu concunhado preferido para o Fifthies para fazermos o esquenta do esquema patrão do jogo que tínhamos ingresso.
Comemos, bebemos e fomos para o pacaembú ver o Verdão.
E é uma coisa bisonha o que o Palmeiras perde de gol. Chega a dar medo e prevejo o pior.
Sei que estou lá, falando meus palavrões randômicos e infinitos e sentindo taquicardia de tanto nervoso, quando um cara vira para mim e fala:

---- Sabia que desde a morte da Nair Belo, essa voz, não sendo dela só poderia ser sua!!!

E pronto, era o meu professor de física do colégio. Ou seja, o meu professor me reconheceu pela voz. O que me leva a levantar apenas duas hipóteses:
Ou eu era muito falante nas aulas e por isso era muito ruím na matéria dele, ou minha voz é muito marcante e por eu ser muito ruím na matéria dele, já que eu não entendia picas, falava muito, para me distrair....
Não sei.
Só sei que vocês não calculam o que eu era ruím em física!
Mas eu devia ser uma fofa, porque ele ficou muito feliz em me ver!
Ou seja, eu era ruím, mas era uma querida!!!
Bom, sei que eu e Piu fizemos amizades no estádio, e um senhor que estava acompanhado dos filhos pré adolescentes afirmou categórico quando nos abraçamos para comemorarmos o gol:

---- Meu filho está filmando a sua bunda!
E gargalhou!
Gar- ga -lhou!
Oi?
É isso mesmo?
O filho pirralho dele está filmando a minha bunda, com o consentimento dele, o pai, que está observando a cena orgulhoso e mais, ainda está me contando exultante da façanha do fedelho?
É isso?
Choque define. Devo tomar como elogio?
Devo buscar no youtube imagens da minha bunda?
Devo ficar orgulhosa:?
Não compreendi. Juro.
Mas o palmeiras ganhava de 3 a 1 e então foda-se.
Eu estava contente.
Saímos do jogo e rumamos para um bar. A princípio eu ia para casa, mas Piu estava sem carro, e alguns amigos nossos estavam num bar, e então eu concordei em ir tomar uma cervejinha.
Tomamos, comemos espetinhos, rimos, falamos de futebol, e saímos do bar lá pelas 3 e meia da manhã.
Sono era tudo que eu sentia.
E dor nas costas.
Porque quando o Palmeitras fez o gol eu abracei o Piu e o Piu tem muitos metros de altura e eu devo ter deslocado uma vértebra.
Tá.
Não desloquei uma vértebra, mas doeu como se eu tivesse deslocado.
A ponto de eu olhar pra ele e dizer:

---- Acho que estou tetraplégica!

Na sexta, rumei para a casa de Reynaldo, meu pai, para filar um almoço muito auspicioso, uma vez que Amanda tinha ido viajar, e eu precisava me alimentar.
Reynaldo preparou casquinhas de siri e cuscuz de camarão. Muito delicioso por sinal.
Comemos quindins também.
Lari e meu cunhado foram também.
Depois dei uma passada na casa de um amigo, tomamos umas cervejinhas, batemos papo e rumei para casa.
Aluguei filmes infinitos, filmes que ninguém gostaria de assistir comigo, e comprei víveres na padaria.
Por víveres, leiam pão francês, queijo tirolez, rosbife e meu precioso líquido negro, que vem com uma babaquice de uns nomes agora.
Não entendi qual a ação do marketing por trás de tamanha idiotice, porque quero coca zero e não " Bárbara", " Cláudia".
Estou me lixando para estas pessoas, e não me sinto confortável em beber coisas com nomes femininos.
Fiquei em casa vendo meus filmes, e dormi quase 3 da manhã.
No sábado acordei muito disposta a ir ao Masp ver Caravaggio e assim sendo, tomei banho e fui logo cedo.
Cheguei, estava uma fila do demônio, mas depois avaliei que eu ficaria na fila em qualquer lugar do mundo, que eu não tinha porra nenhuma para fazer e que sim, eu deveria me manter confiante e perseverante para ver algumas obras dele, porque afinal, a fila não diminuiria, e eu tinha tempo para ficar lá plantada como uma estátua de sal.
Me distrai ouvindo a conversa da família brasileira que estava lá, " as criança tudo correno", aquelas mãos engorduradas de milho verde e churros, e os assuntos mais engraçados ever.
Porque a família brasileira fala de tudo né?
E eu adoro ouvir a conversa alheia e tirar minhas próprias conclusões ou até mesmo opinar em pensamento nos dilemas da família brasileira.
Porque se tem uma coisa que a família brasileira tem, são dilemas.
Adentrei ao estabelecimento de exposições e logicamente me encantei.
Embora o acervo seja pequeno, eu morro de paixão pelas telas dele, e vale a pena ver.
Vale a pena levantar a bunda da cadeira, enfrentar a fila e criar vergonha na cara, porque é uma oportunidade única no Brasil.
Muito bem feita.
Eu adorei.
Depois do Masp, resolvi bater perna na galeria Ouro Fino,  que é sempre um estabelecimento muito divertido, com coisas muito diferentes, e eu adoro coisas muito diferentes!
Comprei camisetas com caveiras, camisetas com frases irônicas como " Who the fuck is Mick Jagger?" e parei para comer um lanche numa padaria.
Daí estou lá, lépida e faceira comendo um bolinho quando entra um mendigo, pergunta se eu posso pagar uma coxinha porque ele está com muita fome e diante da meu sim ele se dirije à moça do balcão e pede a tal coxinha.
Como alguns já sabem, diante da inexistência da coxinha, eu sugiro que ele pegue outro salgado qualquer, que eu também pagaria.
Mas não.
Ele só quer coxinha!!!
Porra!!!
Mendigo guluso do inferno.
Não era fome então né? Era gula!!!
Sei que essas coisas só acontecem comigo, e eu rio sozinha e devem achar que sou louca na rua.
Fui pra casa, assisti mais filmes, dormi a tarde, fiquei como uma ostra em coma na minha cama.
Depois fui ao salão, encontrei minha irmã, aluguei mais filmes e comprei víveres na padaria. De novo.
Tipo feitiço do tempo.
Gatinho estava com seus rebentos, e não vislumbramos um encontro.
Eu sei que estava eu em casa, deitada vendo filmes a noite quando de repente, não mais que de repente, o vizinho da casa de baixo não somente toca guitarra e todos os outros instrumentos de cordas, sopro e blá blá blá como estava recebendo amigos para um churrasco.
Pronto, meu sábado de tranquilidade estaria arruinado.
Porque eles só param lá pelas 4 hs da manhã quando nadam pelados.
Como eu sei?
Eu sei porque eu vejo da minha janela quando chego da balada.
Mas daí, eu, esse ser pândego e cara de pau, levantei da minha cama, coloquei uma calça jeans, a regata do Mick Jagger e uma havainas e fui lá na casa do vizinho, com um vinho na mão, me apresentar.
Não somente me apresentar, mas comer carne também, que eu não sou boba nem nada.
Toquei a campanhia e disse:

---- Oi, eu sou a Bruna, e moro naquela casa ali ó, e como eu não vou conseguir dormir porque vcs estão festejando sabe Deus o quê, e tem essa caralha dessa guitarra, eu vim aqui ter com vocês.
E sorri.
E fui entrando.

O menino, que hoje sabemos que se chama Adriano, ficou estupefato, e foi me seguindo e dizendo:

---- O que vc disse da guitarra? Caralha?

E foi andando atrás de mim, que a esta altura, já tinha entrado na casa dele....

Mas ele foi legal.;
Ele muito achou justo que eu participasse, me apresentou todos os amigos, as amigas, e até o cachorro, que gente, sabem como chama?
O cachorro chama Astro! Igual dos Jetsons.
Eu adorei!!!
Eu adorei o Astro.
O Astro é um dogue alemão preto e branco muito lindo e manso.
Mas tem o rabo imenso e vai batendo nas coisas e nas pessoas com aquele rabão desordenado.
E daí eu fiquei lá gente. Contei pro Adriano tudo que eu escrevo sobre ele e sua guitarra no facebook, que eu odeio a guitarra dele, que eu odeio de morte a vuvuzela, perguntei se ele não poderia tocar punheta ao invés de instrumentos, que dá mais prazer e nem incomoda ninguém, enfim, fiz amigos para a vida toda.
Ele tem 24 anos o tal do Adriano.
Um bebê de colo. Muito bonzinho, muito animado, e muito barulhento.
Ele me contou que tem uma banda.
Ahhh vá?
Jura?
Não tinha reparado!!!
Aconselhei o Adriano e sua bandinha a alugarem um estúdio que fique longe da minha casa, e diante da impossibilidade disso acontecer, porque descobri que o Adriano faz faculdade e só, não trabalha esse pândego, bom, ele não vai ter dinheiro pra alugar porra nenhuma, entramos num acordo, observem as regras que eu, meio bêbada fiz ele assinar numa folha de caderno:

1)Nada de instrumentos de manhã. Até meio dia é de manhã!!!
2) Vuvuzelas, só se os jogos forem a tarde e a noite. Nada de animação durante o dia por conta do jogo.
3) Todo e qualquer instrumento deverá ser tocado a tarde e com a paradinha que aumenta o som, o tal do amplificador ou seja lá o nome que aquele objeto de Lúcifer tenha, bem baixinho.
4) Churrascos com guitarra não serão tolerados. nem com a trilha sonora do inferno " Galopeeeeeeiiiiraaaa", porque isso não é música que se ouça. Nem bêbados.
5) Me convidarem para os próximos!!!

E acho que era mais ou menos isso, porque deixei a folhinha  do tratado de boa vizinhança em casa. Xerocamos numa máquina de xerox que tinha na casa de Adriano.
O pai do Adriano é professor.
Bom, sei que a turminha tava toda lá, gente muito legal mesmo e quando eles resolveram nadar pelados, essa juventude transviada, eu achei que tava na minha hora e rumei para casa.
Me falta idade para nadar pelada! E eu nem conhecia aquelas pessoas, lá vou eu nadar pelada com eles?
Desculpem, eu não nado pelada!
Aliás, acho um absurdo aquele povo pelado.
Gente maluca.
No domingo, Reynaldo capitulou o almoço e eu fui ter com Thot, Feio, Feia e Ph no bar do peixe.
Comemos camarão, casquinha de siri, tomamos cerveja e rimos muito. Comemos tudo do mar, menos surfista.
Depois chegou um amigo de Thot, e resolvemos fazer um churrasco.
Olha só que beleza.
Ficamos assando carne, tomando mais cerveja, rindo, ouvindo música de péssima qualidade escolhidas por umas amigas do Thot e jogando conversa fora.
E assim terminou o feriado que teve de tudo um pouco.
Tudo um pouco.
Teve jogo e quase ataque cardíaco, teve Masp e filmes bacanas na minha cama delicia, teve cerveja, teve churrasco de bico, e não teve gatinho o que nem preciso dizer que não é auspicioso.
Mas foi isso.]
Essa semana aula, ensaio de ballet, correria sem fim no banco onde exerço função análoga a escravidão, casamento no sábado da carolzinha, e quem sabe o que mais essa semana me reservará?
Só sei que eu tô bem, tô feliz e tô numa ressaca de Lúcifer!
É isso.
Comentem né?
Não é todo dia que eu invado a casa do vizinho para participar de um churras.
Beijos

11 comentários:

..Mônica.. disse...

e vce dá muita sorte pro Palmeiras!
apoio vce ir em todos os jogos, pqe infelizmente tmbem prevejo tempos negros ano que vem :(

hahaha, os dilemas da vida da familia brasileira, são ótimos!
hahahaha

e invadir a festa é muiito bom tmbem! já que não pode com eles, junte-se a eles!
hahahah

Unknown disse...

Aiiiiiiiiiii eu estava esperando ansiosa por esse post!
Vc é doidinha menina! Adorei, deve ter sido muito engraçado esse churrasco!! Queria ver a cara do vizinho quando vc chegou lá! hahaha
Qntos anos gatinho tem? Pode contar?! :D
Boa semana e boa recuperação da ressaca, ngm merece ressaca em plena segunda!
Beijãoooo,
Duda Stefanescu

Sabrina disse...

Só vc pra invadir assim a casa do vizinho em pleno churras!! Rsrs. Morri de rir! Já que nao ia dormir mesmo o melhor era de juntar a eles, amizade nova.
Vc êh demais!! Beijao e boa semana.

Simone disse...

Amei...muito bom mesmo,vc esta perdendo tempo no bco bora ser escritora...bjs

Daniely Novo Kamaroff disse...

Eu ainda não tô acreditando que vc entrou na casa do vizinho....kkkkkkk

closet da fla disse...

Bruna to aqui rindo sozinha e desacreditando que vc foi ao churrasco do vizinho de bico,kkk Vc é muito maluca mesmo, fiquei aqui visualizando a cena de vc entrando e o vizinho atrás de vc te perguntando do que vc chama a guitarra dele,hahahahaahaha muito engraçado. Bjs

Ana Brígida Chueri disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk morri ... invadir churrasco com uma garrafa de vinho na mão??? caraca...só tu mesmo

Loraine disse...

Hahahaha chorei de rir! Sua vida parece um filme, sério, quando na vida real que a mocinha vai na casa dos vizinhos sórdidos e os dois escrevem um tratado num lugar que tem máquina de xerox ainda??? Hahaha adorei! Bjs

Simone Camargo disse...

Tuquinha, você é foda! Sempre rio muito com suas doidices. Mas essa de ir à casa do vizinho. . . foi demais!!!!

Nanda disse...

Chocada que vc "invadiu" a casa do vizinho.kkkkkkkk

Andréa disse...

Meu Deus,estamos rindo aqui,meu filho chama Adriano,tem 23 anos,não toca a caralha da guitarra,mas andou fazendo uns esquentas aqui enquanto eu estava na clínica.
Concluindo,multa de r$ 1000,00 pro corno do pai dele pagar.
Vem aqui invadir o esquenta do Adriano!
Kkkkkkk
Beijos.