Total de visualizações de página

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Então, até qualquer dia....

Daí que minha avó de 97 faleceu.
Daí que eu e minha irmã éramos muito mais apegadas à outra avó, ( mãe da minha mãe) que faleceu em 98.
Daí que a gente ficou triste pelo meu pai.
Eu não desgostava desta avó. Só gostava infinito mais da outra.
Mas não desejava mal. Mas tbm não fiquei arrasada.
Até porque ela teve uma vida bacana né? 97 anos... ufa!!!
Mas é sempre ruím perder alguém.
De qualquer maneira um dia nos encontraremos.
Daí que a vida tem dessas coisas...
Daí que tem tragédias muito maiores do que perder uma avó de 97 anos...
Daí que nem é um choque né?
E minha mãe falando: --- Ou vc chora ou coloca o óculos escuro, porque assim não vai dar....
Mas não vi muita gente chorando. Vi um pouco meus tios e pai na hora do padre.
Acho que ngm chora quando perde alguém que já é bem idoso né?
Eu pelo menos não chorei.
Ela tava bonitinha. Passaram um batom rosa nela.
Tava fofa.
Mas se foi...
Meu pai tem 64 anos, idade para ser avô e não idade para ter mãe né? Mas achei que mesmo assim, mesmo sendo maduro e tudo mais, mesmo tendo idade pra ser avô, mesmo tendo perdido o pai tão cedo, ele gostava de ter mãe.
Eu vi ele chorando assim, bem pouquinho... bem controlado e bem envergonhado...
E é isso...
A vida passa!
E a gente perde as pessoas.... E antes fosse sempre assim... tarde e naturalmente....

5 comentários:

Ana Barros disse...

Puxa, esta é a segunda história de perda de avó que eu leio hoje aqui nos blogs...
Eu só tenho avós manternos (aos quais sou mais apegada), os outros já se foram.
C'est la vie !
bjos

Renata disse...

Concordo com você, antes fosse sempre assim tarde e naturalmente! Pior são meus avós paternos que tiveram 3 filhos e perderam os 3...agora estão lá sozinhos e velhinhos. Isso sim é duro!

beijos procê e bom final de semana,
Re

Mica disse...

"Antes fosse sempre assim. Tarde, naturalmente..." Adorei a conclusão e concordo com ela.
Perder alguém da família é ruim mesmo. Apesar da gente não ser muito apegada a quem morreu a gente sente por quem a gente é muito apegada e que está vivo sofrendo muito por quem morreu.
Lamento pela sua avó. E lamento pela dor do seu pai. Cedo ou tarde, mãe é mãe, não é?

An@Lu disse...

tadinha da avó... mas com 97 anos a gente já aceita melhor.

e é triste, mas existem pessoas de quem a gente sente mais falta que outras.

Cristiane disse...

Num concordo com a sua frase: "Meu pai tem 64 anos, idade para ser avô e não idade para ter mãe né?"
As mães não deveriam morrer nunca. Deveriam durar para sempre. Seu pai teve sorte de ter uma mãezinha até os 64 anos.
Eu já falei para a minha que prefiro morrer antes a vê-la partir.
bjos