Total de visualizações de página

terça-feira, 10 de julho de 2012

Sobre tatoos, tatus e selvagens...



Meu dia na sexta feira foi tão infernal, tão extenuante, que meu corpo clamava por cerveja e gargalhadas.
Cheguei a pensar que outubro havia chegado mais cedo e que, além de estar em meu inferno astral, com os cosmos conspirando contra minha  existência, as Noites do terror do Playcenter estavam a todo vapor, com seus monstros saindo de casa, aqueles dementadores, para fazer do mundo um lugar pior para se viver...
Quando saí do banco passei em casa para um banho delicioso com meus óleos perfumados e velas aromáticas e fui buscar minha atriz. Eu  e Dani rumamos para a sórdida Vila Madalena pois ambicionávamos por cerveja, petiscos variados e música.
Adentramos o estabelecimento de gafieira, sentamo-nos numa mesa de frente para a bandinha e demandamos coxinhas deliciosas e Stellas randômicas e infinitas. No baldinho!!!
Ficamos lá, papeando sobre como meu dia havia sido infernal e sobre como eu dei um escândalo de proporções assustadoras no Groupon, esquecendo-me totalmente da boa educação que recebi em casa e que acompanha meu sobrenome desde os primórdios. Esqueci completamente que havia estudado a vida inteira num colégio alemão tradicionalíssimo e professei todos os palavrões que conhecia e os que eu não conhecia também, iventando alguns na hora, porque eu sou criativa.
Mas isso eu contarei em outro post, que farei em homenagem a esta empresa xexelenta contando em detalhes minha saga para obter o ressarcimento de recursos que cobro da empresa há meses.
Voltando...
Ficamos lá, bebendo, rindo e desfrutando de tão aprazível local.
Dançamos samba, e um homem com idade avançada e uma barriga avantajada, parecendo um o prático dos 3 porquinhos quis me tirar para dançar.
Neguei gentilmente tão irrecusável oferta, e permaneci ao lado de minha atriz.
Macaco e juíza foram ter conosco, e lá pelas duas da manhã resolvemos ir embora pois Dani ainda teria um encontro auspicioso e eu estava cansada demais.
Não. Não tive um encontro depois.
O que não foi auspicioso.
Gatinho está em férias, e eu confesso que estou com saudades daquele pândego.
Sim, eu assunmi minhas saudades. Pra ele, inclusive.
Sim, estou evoluindo.
Enfim, eu apenas desovei Dani em sua residência e rumei para a minha.
No sábado, tive que fazer pé, mão, e cabelo pois o Groupon atrapalhou minha rotina na sexta feira.
Ahhh que malditos!!!
Amaldiçoei o Groupon em pensamento. Amaldiçoei o criador, os funcionários e toda a desorganização desta empresa fadada ao fracasso.
Depois, já com as patas inferiores e superiores feitas e pintadas de um vermelho muito rico, rumei para meu tatuador, para fazermos a mandala.
E Brasil, como sofri.
É claro que eu ambicionava ir à exposição do Felini, mas capitulei pois a tatuagem demorou muito, muito mais do que o previsto por razões exógenas e eu, após 4 fucking hours de tatoo, segui para a padaria para me atracar com um sanduiche de presunto, muito a la Chaves.
Cheguei em casa, dormi o sono dos justos e dos convalescentes.
Acordei e após banho, fui até a casa de papito.
Conversamos um pouco, e depois fui ter com Dani, e tive que comparecer até seu camarim, pois a mesma quando eu cheguei trajava um roupão branco felpudo, como convém às atrizes que possuem garbo e elegância, como nós.
Esperei a atriz executar sua rotina de beleza e embarcamos para mais uma noite maravilhosa na Vila Madalena.
Enquanto estávamos dentro de meu picanto rosso, Dani faz menção as gotas de chuva que começaram a cair no meu pára brisa.
Imediatemente me lembrei dele, do Rei Roberto : Chuva fina no meu para brisa....
Ahhhh, a chuva essa filha da puta....
Conseguimos nos sentar de frente para uma televisão no Armazém Piola, onde pedimos chopp, e eu ainda pedi um sanduiche de filet mignon com salada.
E batatas fritas.
E chips misto de batata doce, mandioquinha e batata convencional. Porque é importante mantermos a tradição.
Sei que começou a cair a maior chuva do mundo inteiro, mas assim, a maior, chovia cântaros, e  a luta ia começar e nós estávamos gargalhando debatendo sobre a extinção dos tatus.
Não o tatu animal que possui as patinhas de temaki, patinhas cônicas, mas os tatus bola, aqueles de terra, que se fagocitam.
O Marilyn Manson das espécies, é o tatu bola, definitivamente.
Por razões que eu não explicarei os tatus bola me lembram o Marilyn Manson, e esse blog é um blog familiar, então por favor, busquem saber da semelhança entre o depravado do Marilyn Manson e os tatus bola.
Eles tem muito em comum.
Sei que após muito debate, um debate enriquecedor e muitíssimo relevante, como dá para perceber, chegamos a conclusão de que os tatus bola sumiram mesmo. Não existem mais.
Extinção pura e simples.
E ninguém fez um Globo Repórter ainda sobre isso... Tsc Tsc Tsc....
Só se fala na Libertadores e os tatus bola aí, sumindo a cada dia.
Por isso este país não vai pra frente.
Os tatus bola deveriam ser patrimônio histórico, fizeram muito minha infância.
Dani me fez gargalhar dizendo nunca ter visto uma vaca pessoalmente. Um bovino.
Providenciarei uma visita a Fazendinha para que ela possa passar a mão numa vaca.
Comentei com Dani que uma vez eu estava numa fazenda, e tive a ideia idiota de colocar a mão na boca dela.
Não da boca da Dani, na boca da vaca.
A vaca, evidentemente sugou minha mão, e a lingua da vaca é peluda e grossa.
Sei que ao invés de tirar a mão da boca da vaca eu simplesmente vomitei.
Uma cena linda de se ver. A vaca lambendo, sugando e babando, e eu vomitando.
Orgulho de minha inteligência e poder de reação.
Ali eu aprendi o que é ser resiliente.
Fiquei lá, com a mão dentro da boca da vaca... uhhh só de pensar me dá coisas, como diria o estimado professor Chapatim.
Depois  resolvemos mudar de assunto e o tema escolhido foi filhotes de pombas, pois Dani mencionou que as pombas já nascem adultas, gordas e passando doenças.
Ratos de asas.
Falamos sobre guarda chuvas, sobre isqueiros BIC e sobre montar cabanas no mármore.
Mármores são seguros, grama não.
Não há formigas e perigo no mármore.
Na grama sim.
Dessa vez não falamos sobre elefantes.
Mas falamos sobre leões marinhos e sobre o quanto são gordos e bigodudos. Dani disse que se tivesse um, gostaria que não tivesse bigodes.
Sei que enquanto gargalhávamos e eu trocava mensagens com meu árabe sangue quente do deserto, vulgo gatinho,  a luta começou e os homens são realmente muito selvagens.
Gritam alucinados para a televisão, e gente, o Anderson Silna vão ouve vocês. Sem mais. Grata.
Planejamos nossa viagem para Capri, Amalfi e Sorrento, que ainda não tem data para acontecer, mas acontecerá.
Imaginamos uma trilha sonora, imaginamos as peças que estariam em nossas malas, imaginamos pratos e bebidas que comeremos e até o carro que alugaremos.
Praticamente viajamos para lá, mesmo estando sentadas numa mesa de bar.
Por isso que nos damos bem.
Eu e Dani falamos sobre isso também.
Nos damos incrivelmente bem, não conseguimos mais imaginar nossa existência sem a companhia da outra e concordamos que entre nós, existe a mais verdadeira amizade.
Não há competição, não há churumelas, não há mimimi, não há brigas, não há nada de ruím.
Apenas coisas fabulosas, respeito, amor, um senso de humor completamente non sense, e beleza.
Há muita beleza em nossa amizade.
Fizemos um brinde a isso e voltamos a gargalhar.
Dois rapazes que estavam na mesa do lado, e ouviam interessadíssimos nossas conversas, porque a certa altura resolvemos cantar em italiano, perguntaram se éramos estrangeiras.
Sei que quiseram garrar amizade conosco e fizemos um stand up gratuito para os dois mocinhos, que exalavam colônia de bebês, já que nasceram em 87.
Aiii, bebês de colo praticamente....
Rimos muito com eles, e a Dani perguntou com sua veia nazista:
---- Temos descedência??
Eles responderam que sim, espanhóis e portugueses e Dani complementou
--- Ah tá, vai...
Com um desdém que só vendo...
Gargalhei.
Falamos sobre sobrenomes, e eu e Dani concordamos que Almeida não é satisfatório.
Não gostamos de " Almeida".
É pouco sonoro.
Gostamos de todos os sobrenomes italianos, e dos árabes não gostamos de Haddad.
Não gostamos de sobrenomes portugueses.
Concordamos que Haddad é o Silva do mundo árabe.
Mas em compensação, gostamos de Abdalla.
Humm, Abdalla é chiquérrimo...
Enfim, ficamos lá conversando com os bebês de colo e depois fomos embora pois o estacionamento ia fechar.
Eles fizeram muxoxo quando dissemos que estávamos partindo.
Deixei Dani em casa, e parti para a minha.
No domingo acordei e fui almoçar na casa de papito que nos recebeu com anchovas assadas e risoto de camarão.
Eu levei uma torta de morango como sobremesa e a massa era feita de cimento.
Minha vontade era voltar no estabelecimento sórdido que comprei a torta e desafiar o cozinheiro a cortá-la.
Cheguei a conclusão que a única coisa que cortaria a torta seria a faca Guinsu, mas eu não tinha uma faca Guinsu e nem uma britadeira.
Meu pai me olhou com raiva enquanto tentava com uma faca cortar a torta e eu afirmei que eu só havia comprado, não tinha feito a torta!
hahahahaha
Gargalhamos. Conordamos que as facas Guinsu não cortam apenas duas coisas: As meias Vivarina e a torta de morango que eu comprei.
Cheguei a pensar que era uma torta de morango cenográfica.
Mas não era.
Era de cimento mesmo...
Depois fui para a casa da Dani onde assistimos o DVD do meu casamento, porque Dani ansiava por me ver de noiva...
Inacreditavelmente eu nem chorei.
Fomos na feirinha do Center 3. E depois seguimos para a Vila Madalena do Jordão.
Estava um frio, mas um frio que pensei estar no Ushuaia.
Mesmo assim, tomamos cerveja e sambamos para nos esquentar.
Estávamos encostadas no balcão, quando um cara vem puxar papo com a gente.

---- Eu tô vendo vocês e queria saber se vocês não querem tomar uma cerveja, nossa, deixa eu ler sua tatuagem, e eu não vou conseguir ler, porque eu estou, eu estou...
O cara era uma máquina de falar bobagem.

Ao que eu completei para ajudá -lo, já que ele estava tucanando a embriaguez...

---- Bêbado. Vc está bêbado.

O cara tinha uma pêra e uma uva no lugar dos olhos de tão bêbado, saca olhos de máquina de cassino?
E vem com esse eufemismo, de " estou, estou um pouco..." Tu tá bêbado como um um gambá, irmão. Vaza.

Ficamos flanando pelo sambinha auspicioso, dançamos, interpretamos e bebemos.
Rimos.
Temendo punições futuras do meu árabe sangue quente, e já prevendo a febre aftosa que eu estava contraindo enquanto sambava e tomava cerveja gelada na Antártida, resolvi ir embora.
Dani resolveu ficar.
Estava dançando alegremente com um jovem psicólogo todo trabalhado no Che Guevara.
Muito Vila Madalena.
Cheguei em casa e comi um delicioso sanduiche de mortadela e queijo brie, que eu nem sei se combina muito mas eu estava com a fome da morte.
E daí acabou o final de semana né?
E apesar de segunda ser feriado eu vim trabalhar.
Por pouco tempo, é claro, até a hora do almoço, quando resolvemos ir até o Sujinho para almoçar.
Demos risadas, tomamos mais cerveja e depois fui embora pra casa.
Dani havia se banhado no Rio Ganges e contraiu Ebola, ou febre Tifóide ou seja lá qual doença for, e eu tambpem acho que contraí.
Já cheguei em casa meio jururu, querendo dormir.
A noite, acordei, tomei sopa, falei com meu árabe sangue quente do deserto que me fez prometer que eu não tomaria antibióticos, e eu, inacreditavelmente , não tomei.
Sabe quando isso aconteceria na minha vida?
Não gosto nem de pensar...
Sei que não tomei.
E ainda prometi.
Acho que eu temo pela minha vida, porque os árabes são muito bravos, apesar de falarem as coisas com carinho, eles são bravos, não discuta com um árabe.
Dani concordou que eles é que estão certos, os árabes.
Homem é homem e mulher é mulher.
Papéis diferentes, e não essa putaria ocidental....
hahahahaha, gargalhei.
Enfim, sei que tomei sopa, não tomei os remédios fortes temendo pela minha vida, apenas tylenol e própolis e ainda ouvi a recomendação de: Não mascare os sintomas!!!
Medo define.
Assisti Forrest Gump que é lindo de se ver, e dormi.
Saudades do meu árabe sangue quente do deserto.
Saudades da minha voz, que está prejudicada pela gripe e parece mais a voz da Nair Belo.
Saudades da minha atriz, nós não nos vemos durante a semana.
Putada, olha só, o happy hour terá que ser adiado para quarta que vem, pode ser?
Tô zuada e ainda lembrei que haverá um jogo do Palestra, a final!!!
Pode ser?
Saudades de ler os comentários de vocês, que não sei porque razão, motivo ou circunstância não estão comentando nesse blog.
Não quero comentários sobre eu ter assumido que tenho sentido saudades do homem bomba.
Sem mais, Grata.
beijos






7 comentários:

Dani disse...

Depois de alguns problemas tecnicos voltamos producao!
Como eu dizia, a aritimetica...
Ai nao, esse é o texto do Prof. Girafales.
Serei curta e grossa, como eu: Te amo.

..Mônica.. disse...

meu comentário apagooou?
que triste isso! haha
o pior que minha nemória é tão boa que eu só lembro qe coloquei no comentário que tmbem fui na Vila Madalena sexta e que fiquei olhando m todos os lgares pra ver se te via, mas como estava sem óculos e lente não enxergava um palmo a minha frente!
hahaha.

Beeeijos Bru!

Dani Jaime disse...

Hahaha! Eu sou da teoria que os tatu bolas tiveram o mesmo fim dos vagalumes...sim, pq cadê os vagalumes, senhor? alguém tem notícias? hehehe!
Melhoras Bruna...o frio aqui do Sul tb castiga a minha pessoa e isso nao tá legal, nao...Beijos

ADRIA disse...

Eu juro que eu não consigo tomar Stella uma única vez sem me lembrar de você. Acho que você devia ser a garota propaganda....Beijo sua louca.

Sabrina disse...

Eu tbm estou mal, depois de muitos drinks gelados contrai uma bela dor de garganta, febre e rinite. Semana que em estaremos no pique total novamente. Bjs!!

Silvia Maria Suardi disse...

e a mônica louize?? tá sumida...

Monica Louize disse...

GENTEEEEEEE, TO DE VOLTA!!!

Eu mudei de trabalo e não consigo mais ficar na internet... tenho que dar exemplo!!
Sinto uma falta absurdamente dolorida desse cantinho, onde eu me encontro e eu posso ser eu mesma.
Não tenho que não falar palavrao, porra!
Não tenho que ser educada com todo mundo, caralho!!
E olha, eu muito sei a semelhanã entre o Marilyn Manson e o tatu bola!
Sei sim, pq tenho uma mente que roda por buracos sórdidos!!

Meninas, se vcs quiserem, me adicionem no amado face!!! Estou lá como Monica Louize (derrrr), meio óbvio, mas é o que temos pra hj!!

Ah, eu ando desanimada com a porra do caralho da minha vida. Não falando de trampo, mas com a MINHA vida, saca?!

Em resumo, to chata pra caralho! E meu aniversário é em setempo... Será a que o inferno astral se adiantou??? Merda.

Saudade master de vcs.

Bru, vc é meu amor verdadeiro, amor eterno!

Beijossssss